Antiga cachoeira.

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Antiga cachoeira.

Mensagem por Rose Eastwood em Ter Jan 22, 2013 5:58 pm



Um enorme rio existiu aqui, porém, com o passar dos anos a nascente desapareceu, assim como a água. É pouco visitado, devido as histórias macabras que aconteceram no local, alguns dizem que é mau assombrado


Dead or alive RPG

Rosemarie Eastwood
But if you close your eyes Does it almost feel like You've been here before?
How am I gonna be an optimist about this?
Veni, vidi, vici
avatar
Rose Eastwood
Admin

Mensagens : 206
Data de inscrição : 15/01/2013
Idade : 21

Ver perfil do usuário http://wanted-dead-or-alive.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Antiga cachoeira.

Mensagem por Rose Eastwood em Seg Fev 04, 2013 4:16 pm


I knew you were trouble
when you walked in

Havia chego na cidade a menos de um dia, e já havia festa na cidade. Na verdade, era festa em todos os quatro cantos sobreviventes do mundo, afinal era O Dia do Novo Mundo, eu havia encontrado uma biblioteca em NY que o dono era rico o suficiente para que tivesse livros do Antigo Mundo, e neles eu li sobre diversas datas especiais, feriados, era como eles chamavam. Agora é difícil ter datas felizes o suficiente para ser considerado feriado.

Mas enfim, voltando a Paradise Falls, minha viagem fora tranquila, o trem não encontrou problemas, digo, Ivermininggers.

Meu primo Sam veio comigo, e finalmente eu havia encontrado um Eastwood que não me tratasse como um bibelô, no momento ele encontrava-se próximo a nós com Garrett. Acenei para meus irmão e primo quando Devil parou, sim, Zach havia me trazido no seu cavalo quase tão precioso quanto Frank. Ele se recusou ame dar um cavalo, não quando eu estava vestindo um vestido, junto de mais três saiotes. Se ele soubesse quão boa eu sou, ficaria surpreso, eu acho.

- Eu não preciso de ajuda Zach! - Reclamei em vão, quando ele me pôs no chão, bufei e Zach disse algo bobo e disse que teríamos que conversar mais tarde, vi Frank de longe brincando com as poucas crianças da cidade. Zach foi até o filho e eu fui procurar algo para fazer.

Ah, e eu achei, e como, Deus era prova.

Eu estava caminhando em direção a igreja, procurava por Katrina pois não havia vindo comigo na viagem e eu sentia falta da minha amiga. E passando por entre as bebidas e comidas eu avistei algo digno de se observar. Um homem de estatura alta, não usava chapéu como maioria dos outros mostrando os cabelos curtos e escuros ligeiramente bagunçados, usava roupas pretas e os olhos azuis estavam olhando na minha direção. Meu coração pareceu sair do ritmo e eu senti que iria desmaiar.

Ryan Archer estava olhando para mim!

Porém, não foi da forma que eu esperava. Ele franziu a testa e eu acenei, educadamente é claro. Ryan pegou sua bebida bruscamente e saiu andando, pouco importando se iria quase me derrubar no processo. Me equilibrei nas minhas botas e olhei para as costas Ryan que seguia sem olhar para trás.

Pelo jeito as coisas não mudaram nada em Paradise Falls.

Cruzei meus braços na altura dos seios, pensativa. Por que ninguém consegue superar algo que nem foi culpa nossa? Que inferno, desculpe Deus pelo palavreado, mas essa história já havia passado dos limites e se haviam entrado em um acordo de paz, supostamente, era para haver paz, não é mesmo?

Procurei por algum conhecido, tentei procurar Iris, mas não a avistei, senti um pressentimento ruim, mas esperei que ela apenas estivesse atrasada.

Olhei para minha família, e um sorrisinho se formou em meus lábios, eles estavam aproveitando o que um tal feriado oferecia: o de sempre, eles estavam em um grupo bebendo e rindo, eu posso ter ficado uns anos fora daqui, mas uma coisa nunca iria mudar. Todos os Eastwoods iriam beber até não aguentarem mais ficar de pé, e isso com absoluta certeza não iria ser rápido.

Não pensei muito, e tentei ser o mais discreta possível, Ryan montou em seu cavalo e partiu na direção oposta da sua fazenda, indo na direção abandonada, céus, o que eu estava fazendo?
Preferi não responder, dei a volta pela parte mais vazia e encontrei o que queria.

Devil era rápido como o vento, e nós dois sabíamos que se Zach descobrir estaríamos perdidos, pelo menos eu estaria.

Não foi difícil de pegar a trilha que o Archer usou, e eu me mostrei nada enferrujada, ainda conseguia cavalgar perfeitamente, mesmo de vestido. A viagem foi ficando um pouco sombria, Devil parecia não gostar de lá, e nem eu, mas eu queria ver para que Ryan veio pra cá, e saber o motivo do tratamento tão grosseiro dele, e também, ela queria vê-lo melhor, fazia quase três anos que ela não o via e ele parecia ainda mais bonito.

Sim, talvez eu tenha algum sentimento por ele, do tipo que te faz seguir a pessoa sem um motivo cabível, mas eu já estava lá e provavelmente ele já notara minha presença ali. Devil resmungou e parou alguns metros longe, mas Ryan acabou com eles rapidamente vindo até mim, desci do cavalo o mais rápido que eu consegui e encarei o moreno, que não possuía uma expressão feliz, então ele começou a falar, mas eu o interrompi.

- Não estou fazendo nada demais, você que é que fez, por que me tratou daquela forma lá na cidade? - Coloquei a mão na cintura, questionativa parecendo até mesmo um tanto zangada, mas na verdade eu esta adorando falar tão próxima de Ryan. - Eu estava apenas tentando ser simpática!




TAG: Zach, Garrett, Sam, Kate, Iris, Ryan e Frank. NOTES: Consegui postar LOL.

Dead or alive RPG

Rosemarie Eastwood
But if you close your eyes Does it almost feel like You've been here before?
How am I gonna be an optimist about this?
Veni, vidi, vici
avatar
Rose Eastwood
Admin

Mensagens : 206
Data de inscrição : 15/01/2013
Idade : 21

Ver perfil do usuário http://wanted-dead-or-alive.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Antiga cachoeira.

Mensagem por Remus Archer em Sex Fev 08, 2013 5:53 pm

hillbilly barbie
Katrina mal havia chego e ele tinha de virar a babá da mimadinha? Simon o pagaria mais tarde por aquilo. Assim que abriu as portas da casa dos Archer e se deparou com a gêmea mais nova, tudo o que o impediu de soltar uma cantada de pedreiro fora a careta autoritária do mais velho. Diabos, Simon não devia ter trago aquela garota de volta. Ryan não sentira a mínima falta da irmã enquanto estava em Nova York e tinha quase certeza de que ela não queria ter voltado também, mas, como sempre, Simon era quem dava as cartas naquela família. Uma verdadeira droga. Ergueu uma das sobrancelhas, tacando o chapéu que usava em um canto obscuro do hall de entrada e seguiu seu rumo, ignorando os irmãos, que aparentemente estavam entretidos em uma interessante conversa sobre vestidos ou educação.

As vezes desconfiava da masculinidade de seu irmão, nada demais.

Caminhou pela grande casa, deixando um rastro de botas enlameadas por onde passava, só tirando-as quando chegou ao seu quarto, onde se despiu por completo e foi se lavar, porque hoje era o dia do novo mundo, e, apesar de achar aquela tradição mais do que idiota, a seguia com religiosidade. A mãe morrera mas tentara ter certeza de que pelo menos alguma moralidade Ryan possuísse. Assim que terminou de se banhar e vestir as roupas novas, voltou para a sala de estar, onde Katrina ainda estava sentada, agora sozinha e com um vestido diferente.

– Cansada de NY, é? – sentou-se à sua frente, esparramando-se no sofá branco da sala, a irmã o olhou com a mesma cara inocente que usava todas as vezes que sabia que estava encrencada queria se safar do castigo. – Vou te avisar de uma vez por todas, Kate. – levantou um dos dedos, com a carranca séria. – Nada mudou, tu ainda é uma Archer, e se eu te ver de graça com qualquer cabra dessa cidade, o sujeito morre, e você leva uma surra de vara, entendido? – levantou a sobrancelha de leve, com a expressão ainda compenetrada.

Não, ele não podia se importar menos com o bem estar da irmã, só não queria ter o nome dos Archer jogado no lixo caso a vadiazinha levantasse as saias pra qualquer um que passasse que não fosse seu marido. Simon realmente havia os devolvido um problema.

Despediu-se de Katrina alguns minutos depois, com o silêncio tomando o cômodo assim que ele dissera aquelas coisas para ela. Saiu da propriedade, rumo ao estábulo e montou em seu cavalo, Fox. Detestava que qualquer um menos ele o montasse e parecia que os dois se entendiam bem até demais. Só iria naquela festa única e exclusivamente por causa da bebida que ganharia por sua família ser uma das patrocinadoras. Não demorou nem vinte minutos para chegar a One Street, onde o evento estava acontecendo. Paradise Falls era, realmente, a droga de um caroço de feijão de tão pequena. Desmontou de Fox e o atrelou a um lugar visível por toda a cidade. Se algum bastardo roubasse seu cavalo, Ryan tinha a absoluta certeza de que mataria alguém.

Andou por entre as pessoas, indo direto para a banca onde serviam as bebidas do evento e se serviu de uma caneca de cerveja preta. Não devia ter virado depois disso, mas o fez, encontrando o olhar com o de Rosemarie Eastwood. Ótimo, seu dia acabava de ficar bem melhor. A garota sorrira para ele, aquele tipo de sorriso que faria qualquer um ficar de quatro por uma mulher como ela, e acenou para ele, mas Ryan apenas franziu a testa e tomou mais um gole de sua cerveja e pôs-se a andar antes que fizesse algo mais do que se envolver em uma briga.

Não, até era esperado que ele se envolvesse em confusões. O povo de Paradise Falls já se acostumara com seu gênio explosivo e bastante imprevisível. Aparentemente, a Barbie Caipira ainda não tinha conseguido entender que nem que o Inferno congelasse ele ia ter algo com ela. Saiu de perto dela, esbarrando na garota sem querer, não olhando para trás ao chegar onde Fox estava amarrado. Terminou de beber o restante da cerveja em segundos e alguns goles e jogou o caneco no chão, montando em seu cavalo, no intento de sair dali.

Não sabia muito bem, mas queria matar alguns Ivermininggers, antes que ficasse louco. Talvez fosse tarde demais, porém pensar naquilo só o deixaria com aquela vontade ainda mais intensa. Simon, apesar de ser um bundão, iria repreendê-lo se fizesse algo.

– Vá pro inferno, Simon – rangeu os dentes, apertando as rédeas em torno das mãos e saindo do evento, rumo à Cachoeira Abandonada, onde era quase certo encontrar os insetos. Demorou um pouco mais para chegar lá, a cidade se estabelecera o mais distante possível dos ninhos de Iverminiggers, por questões óbvias de segurança.

Qual não foi sua surpresa ao perceber que havia sido seguido? E justamente pela mesma Barbie Caipira que deveria ter aprendido pelo menos uma coisa ou duas desde que se conheceram. Parece que ela era burra mesmo. Desceu do cavalo ao mesmo tempo que ele.

– Que diabo tu tá fazendo aqui, mulher? – começou, antes de ser interrompido por ela.

- Não estou fazendo nada demais, você que é que fez, por que me tratou daquela forma lá na cidade? Eu estava apenas tentando ser simpática! – Ryan percebeu a pose de durona que ela tomou e ergueu uma das sobrancelhas, cruzando os braços com autoridade.

– Bom pra você, Barbie Caipira. Agora sai daqui, porque não sei se vou preferir matar Iverminiggers ou você. – enrolou um pouco a língua para falar a palavra Iverminiggers, tinha falado aquilo desde que nascera, mas sua língua simplesmente travava sempre que chegava no “mini”. Antes que a loira risse de sua língua presa, voltou a tomar uma posição mais respeitosa e riu com a possibilidade, alisando a barba por fazer. – Se fosse tu, teria cuidado, mulher. – continuou, sem ter muita paciência. – Não é bom me irritar a ponto de preferir matar um humano a um bicho.

Amarrou Fox perto de um tronco caído e foi pegar um pouco da água do pequeno leito. Estava uma droga, como sempre, mas não fazia mal testar. Fez um gargarejo com a água e cuspiu-a próxima aos pés da Eastwood, sacando a arma e apontando para a loira, que no mesmo momento ficara tensa. Aproximou-se dela, lentamente, permitindo-se revirar os olhos por uma vez ao perceber que ela estava com medo dele. Finalmente tinha entendido!
Lyrics: Be Prepared – The Lion King
Post: 001
Clothes: Link
Notes: ainda tenho que entrar no clima.
thanks,
Baby Doll ♥



Dead or alive RPG

avatar
Remus Archer

Mensagens : 68
Data de inscrição : 20/01/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Antiga cachoeira.

Mensagem por Rose Eastwood em Qui Fev 28, 2013 7:53 pm

i knew you were trouble

Ryan, Zach, Garrett » ### um zilhão » Postei, bj» NICK @ ATF

Rose mordeu o lábio inferior tentando evitar soltar uma risada, era engraçada a forma como Ryan dizia Iverminiggers, ou melhor era lindo, Rose revirou os olhos interiormente. O que tinha nele que ela não achava lindo? Tudo era bonito, até a forma como ele ameaçava mata-la com a sua arma.

Espera... O que?

Olhou para a pistola apontada a sua direção e abriu a boca, chocada com a situação. - Ryan, você está louco? - Quando ele deu de ombros, ela piscou algumas vezes, tentando achar alguma palavra que ajudasse ela mesma naquela situação. Oh diabos, ele só podia estar blefando, não teria coragem de mata-la, teria? - É... Péssima escolha de palavras. - Murmurou para si mesma. Ergueu os olhos para ele e olhou dentro dos olhos do moreno.

- Olha... Eu sei que você odeia a minha família, ok, você me odeia. Mas... Não seria melhor não me matar aqui? - Disse encolhendo os ombros. - Digo, não que você tenha que me matar no meio da cidade e tudo mais, é claro. Vocês de fato, não tem necessidade alguma em me matar, isso tudo é um exagero que nossas famílias criaram, por um motivo que já nem lembramos direito. - Dizia de forma doce e sutil, aproximando-se de Ryan o máximo que pode, até que ele estreitou os olhos para ela. - Você ceifaria a minha vida de forma tão cruel? Eu que nunca fiz nada de ruim a nenhum ser vivo, a não ser os Iverminiggers, é claro. - Disse o nome dos insetos de forma dramática, usando o maximo de seu charme para conseguir ficar próxima da arma, o suficiente para que pudesse tirar da mão de Ryan...

Ah, que magnifico, ele não caia em nenhum tipo de truque feminino mesmo.
Rosemarie murmurou um palavrão baixinho e respirou fundo, o corpete parecia que ia fazer com que seus peitos saltassem para fora, ou pior, explodissem junto de seus órgãos, em nome de Deus, quem foi o maluco que criou essa veste?

Ryan deu um passo para frente, o simples gesto fez com que o coração de Rose acelerasse, ela só não sabia se era pelo fato da aproximação, ou de que ele a mataria.

Oh, é por isso e outros motivos que Ryan era tão irresistível, ou melhor, quase impossível. Sorte a dela ser tão persistente, pois ele não iria a matar... Se fosse, já teria feito, pelo menos era isso que ela esperava. Quem sabe ele estava repensando seus atos e bem ... Antes que Rose soltasse um suspiro, e quem sabe levasse um tiro do Archer, a loira empalideceu.

Os sinais foram claros, mas nenhum dos dois quis ouvir, afinal estavam muito ocupados lidando com a vida e a morte de Rose, então, ignoraram quando os cavalos se afastaram, relinchando de forma baixa, ou quando um barulho anormal começou bem baixinho logo atras deles.

- Ryan... Ryan, por favor, me escuta! - Disse sem se mover, quase que num sussurro. - Eu acho você devia apontar essa arma em outra direção. - Aos poucos, ele entendeu o que ela queria dizer, e fez uma careta de desgosto, murmurando alguma coisa sobre jogar a barbie como isca que Rose fez questão de não compreender. Rose olhou ao seu redor, haviam três... cinco contando com a aranha que parecia siamesa, o que nesse mundo não fora atingido por essa radiação? Malditos homens das cavernas e suas genialidades de nada, agora se eles não fossem rápidos, não iriam viver para contar.

Sorte que Rose possuía uma replica da "Peacemaker" de Garrett, entre suas saias, ela só precisaria se abaixar um pouco, mas tinha medo de fazer algum movimento brusco, ela havia estudado o suficiente para saber que eles eram predadores natos, e apenas esperavam o movimento da presa para atacar, por mais que sejam insetos de natureza nada predatória, ou melhor, predatória sim.

Mas Ryan como sempre não pensou, apenas agiu, e então Rose agachou-se e puxou a Colt da cinta que a segurava, se Zach soubesse disso estaria tão encrencada, mas deixou esse pensamento de lado, e atirou no inseto que ia na direção de Ryan, que estava muito ocupado atirando na aranha siamesa. Foram dois tiros certeiros, e o inseto caiu no chão, deixando uma gosma esverdeada escorrer pelo chão de terra.

Sorriu, havia salvado o seu quase assassino, e se sentia maravilhosa por isso.

Pobre Rose.


Dead or alive RPG

Rosemarie Eastwood
But if you close your eyes Does it almost feel like You've been here before?
How am I gonna be an optimist about this?
Veni, vidi, vici
avatar
Rose Eastwood
Admin

Mensagens : 206
Data de inscrição : 15/01/2013
Idade : 21

Ver perfil do usuário http://wanted-dead-or-alive.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Antiga cachoeira.

Mensagem por Remus Archer em Sex Mar 15, 2013 5:01 pm

owe you nothing.
Ryan detestava dever qualquer coisa que fosse, para qualquer um. O orgulho doentio e completamente infundado do Archer era constantemente uma das coisas que o metiam em brigas, discussões e situações não muito favorecedoras para serem compartilhadas em uma mesa de jantar junto a seus irmãos e cunhada. Pouco se importava, de qualquer forma. Simon e Daniel conheciam-no bem até demais e Margot logo se acostumaria com os modos do Archer mais novo. Se não o fizesse, pouca diferença faria. Não mudaria seus jeitos e muito menos controlaria sua boca por causa de uma mulher com quem não tinha laço nenhum. Até mesmo sua querida irmã, que tirara a sorte grande ao ser mandada para Nova York, não era digna de seu respeito. Ninguém, realmente, o era para o herdeiro. Queria mais que todos morressem de peste ou atacados por Iverminiggers, então poderia tomar posse da propriedade dos Archer com plena funcionalidade, sem ter que ficar lidando com o conflito de interesses criado por Daniel e Simon, e declarar logo a maldita guerra contra a escória de Paradise Falls: os Eastwood.

Desde que tivesse uma colt em seu coldre, cerveja e sexo, o mundo poderia acabar, que Ryan não perceberia, e pior(aos olhos de seus irmãos) não daria a mínima.

Negou com a cabeça, encarando a loira a sua frente. Era a droga de uma Eastwood e era uma das mais persistentes mulheres com quem já cruzara. Seria uma bela mensagem para aquela raça a qual pertencia caso a matasse ali mesmo. Sua mente maquinou inúmeras formas de torturá-la antes de enfim dar um fim ao seu sofrimento, todas envolvendo estupro. Bufou, ativando o cão da colt que apontava na direção dela. Era a merda de uma Eastwood. Não ia tocar nela, até porque não era digna de estar com ele. Ryan as vezes deveria filtrar seus pensamentos, como por exemplo aquele tipo de pensamento. Agora não conseguia mais tirar da cabeça a imagem de Rose, a Barbie Caipira, sendo tomada por ele.

Estava começando a deixá-lo nervoso. Podia sentir sua respiração falsamente lenta, escutar o coração da loira palpitar rapidamente com o medo. Reprimiu a vontade de sorrir maldoso com aquilo tudo. Os lábios se moviam com delicadeza e obstinavam-se, mas ele não escutava os sons que saíam por entre eles. Não lhe interessava o conteúdo. Provavelmente não a ouviria, de qualquer forma. Quando ela se aproximou, ficou tenso, ameaçando atirar nela. Seria uma pena se acabasse com aquele rostinho bonito, mas o que poderia fazer? A Barbie Caipira quem o havia procurado, e agora devia sofrer com as conseqüências. Sabia como ele era impiedoso, cruel e que não tinha um pingo de paciência. Era realmente um milagre ter aguentado Scarlett até hoje sem dar sequer um tiro na mesma. E também seria um milagre se a Eastwood saísse dali respirando, dado seu humor no momento.

Deu um passo na direção da Eastwood, ainda apontando a arma para a cabeça dela, quando escutou um barulho familiar. Tentou clarear a mente, mas tudo o que conseguia ver era a loira, respirando profundamente e tentando manter-se calma. - Ryan... Ryan, por favor, me escuta! Eu acho você devia apontar essa arma em outra direção.Rose moveu levemente a cabeça, fazendo com que ele olhasse para a direção dos Iverminiggers. Bufou. Não poderia gastar munição com a Eastwood, eram cinco pelo que tinha brevemente contado, e sim, Ryan conseguia contar até dez, mas depois disso, seu cérebro começava a embaralhar e ele não gostava nem um pouco daquilo. Também, poucas vezes vira tantos Iverminiggers juntos, sendo um caçador e estando quase todos os dias lidando com aqueles insetos desgraçados. Chingou baixo seus antepassados e virou-se, bruscamente, atirando na aranha siamesa que o encarava com cara de poucos amigos. Não fazia ideia de que cara um Iverminigger poderia ter para avisar que queria ter muitos amigos, mas trincou o maxilar, escutando dois tiros serem disparados pela Eastwood, certificando-se de que ele não estava sangrando nem nada. Virou a cabeça de lado, vendo perifericamente um outro Iverminigger sangrando, a gosma espalhando-se por todo o lugar e soltou um assovio, sacando a outra colt que levava no coldre e mirando em mais outros dois enquanto a Barbie Caipira lidava com o último. Esperava que não fosse tão estúpida a ponto de não conseguir lidar com um insetinho como aquele – uma mosca gigante, se é que aquilo seria concebível no antigo mundo.

Quando ambos os Iverminiggers foram em sua direção, Ryan concentrou-se apenas em um, mirando as duas colts no louva-deus e soltando todo o poder de fogo delas em uma das asas do inseto. Chingou, tratando de recarregar as armas enquanto percebia ambos os Iverminiggers virem sedentos por sangue. O louva-deus apenas tinha sido atrasado e, Diabo, Ryan não teria outra chance caso errasse. Terminou de recarregar as armas e andou para trás a medida que ambos o encurralavam. Trincou o maxilar e atirou novamente no louva-deus, acertando-o em cheio. Não teve tempo para comemorar, tendo que lidar com o outro Iverminigger, uma joaninha – quão gay seria morrer nas patas de uma joaninha? Atirou as armas inúteis agora para longe e provocou o inseto. Atraindo-o o suficiente para que conseguisse lutar corpo a corpo com ele.

Não era o indicado e certamente era a coisa mais perigosa que Ryan já tinha feito em toda a sua vida, mas quando as armas de fogo falhavam, ou ele usava armas brancas, espadas, adagas e afins, ou ele usava os próprios punhos, o que preferia muito mais. Sorriu, malicioso, quando a joaninha silvou e foi de encontro a ele, com uma velocidade que o surpreenderia caso ele não estivesse acostumado. Desviou com habilidade do inseto e escalou as asas vermelhas com pingos negros, mantendo-se em cima do bicho durante o tempo todo e tentando ignorar o fedor e a sujeira impregnados ali. Fazendo uma careta, segurou-se enquanto o Iverminigger esperneava e ameaçava levantar vôo, então sorriu, obtendo espaço o suficiente para conseguir meter o punho naquela parte sensível da anatomia do inseto e matá-lo. Lembrou-se das aulas que tivera com Simon, de como teria que proceder e segurando-se, fez passo a passo, ameaçando cair a qualquer momento. Quando conseguiu chegar aonde deveria, soltou um rugido e, sacando uma das facas de caça preferidas de seu falecido pai, meteu-a nem no ponto frágil do Iverminigger, pulando dele tempo o suficiente para que a gosma não o sujasse – já estava mais do que sujo, mas a gosma de um Iverminigger era a coisa mais fétida e difícil de ser tirada que conhecia. Pior até do que as fezes de Fox, e isso era muito.

Arfando pelo esforço, virou a cabeça, dando de cara com a Eastwood, completamente suja, assim como ele, e com o vestido completamente arruinado. Também estava respirando com dificuldade. Reprimiu uma careta, lembrando-se que ela o salvara apenas alguns momentos antes. Ótimo, Ryan. Agora você deve sua vida para um Eastwood.

As coisas apenas ficavam cada vez melhores.

Bufou, erguendo-se e olhando-a de cima, apontando um dedo direto na cara dela. Eu não te devo nada, Barbie Caipira. Nada, entendeu? A única culpada por isso tudo é você.Estava errado, e sabia disso, mas não ia dar o braço a torcer para a garota. Ainda mais quando sabia que ela estava ali seguindo ele. Não quero saber de nada disso. E se você me procurar de novo... Eu juro que eu mesmo meto uma bala nessa sua testa, escutou? a voz de Ryan era apenas um sussurro agora, mas muito ameaçadora. Ele havia se aproximado o suficiente da Eastwood para sentir sua respiração e aquilo estava despertando um ser que deveria ser mantido trancafiado quando se tratava de um Eastwood. O peito subia e descia e Rose olhava para o chão, mas levantou seu olhar para ele e, por breves segundos, aquela distância, ambos encararam-se, olho no olho, enquanto Iverminiggers vertiam sua gosma natural por todo o chão da cachoeira abandonada, contaminando-o por inteiro.

Então, limpou a garganta, afastando-se rapidamente e assoviando para que Fox voltasse, mas diabos, duvidava muito que o cavalo voltaria para um lugar que fedia tanto. As narinas de Ryan ardiam e os olhos começavam a lacrimejar. Seria melhor partir antes que começasse a verter água pelos olhos na frente de um Eastwood. Teria que matá-la caso o fizesse e, por mais que quisesse, devia ao menos algo a ela. E se tivesse que se segurar para não enfiar nada nela, teria que se afastar o mais rápido possível.

Quem disse que Ryan era um cara simples, de qualquer forma?
Lyrics: Vermillion - Slipknot
Post: 001
Clothes: Link
Notes:
thanks,
Baby Doll ♥



Dead or alive RPG

avatar
Remus Archer

Mensagens : 68
Data de inscrição : 20/01/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Antiga cachoeira.

Mensagem por Rose Eastwood em Dom Jun 09, 2013 1:25 am

i knew you were trouble

Ryan, Zach, Garrett » ### um zilhão » Postei, bj» NICK @ ATF

- Eu não te devo nada, Barbie Caipira. Nada, entendeu? A única culpada por isso tudo é você. - Rose deu um passo para trás, e Ryan um a frente, apontando um dedo na cara da loira. - Não quero saber de nada disso. E se você me procurar de novo... Eu juro que eu mesmo meto uma bala nessa sua testa, escutou?

Barbie Caipira? Uh, essa doeu. Mas já havia escutado esse apelido por ai, e então preferiu relevar, e se focar no que estava acontecendo naquele instante. Ryan Archer, devia.uma.a.Rose. Quando se deu conta, ela quase gritou, ignorando que estava cheia de gosma e quase havia sido morta por Ryan, depois por Iverminiggerss, e depois novamente ameaçada de morte por Ryan.

Por que tão difícil Ryan?
E por que ele estava a deixando ali?

Rose fez um bico, e puxou o ar com força, soltando em forma de um nome.
- Ryan! Ryan Archer, volte aqui agora! - Ele a ignorou, e continuou andando, como se ela não fosse nada. Rose bateu o pé.

- Hey escuta aqui! Você me deve uma! Não seja um covarde e honre suas dividas! Seu covarde! - Cruzou os braços, mantendo firme o olhar, dessa vez sem fraquejar, era agora ou nunca, e ela era bem, ela mesma! Insistente que só, e ela queria Ryan, e ela só teria paz quando enfim fizesse.

Ou quando fosse morta, ou por Ryan ou por seus irmãos. Ignorou o pensamento, afina, não trazia nenhuma ajuda para o momento. Talvez o chamar de covarde tenha realmente chamado a atenção de Ryan, que caminhava a passos duros parou no lugar, sem se mover nem nada, e aos poucos ele começou a girar o corpo. Rose engoliu em seco naquele momento, a expressão assassina no rosto do homem parecia ser aquela que você não desejava nem ao seu pior inimigo, e lá estava ela, exclusivamente para Rose. Por um instante, ela achou ter visto o olho esquerdo tremer, enquanto ele a encarava.

Bem, se for para morrer, que morra como uma verdadeira Eastwood: Brigando com um Archer.

- Eu acredito que você me deva um agradecimento. - Continuou, tentando ignorar o fato de que estava aterrorizada, nervosa e ansiosa. - E em agradecimento.... - Disse interrompendo qualquer coisa que ele fosse falar.

- Eu quero um beijo de agradecimento.

Fez-se pausa, nenhuma palavra, nenhum som... Nada. Até que.

- Não, eu não estou de brincadeira, nem fazendo uma piada Ryan Archer, você sabe muitíssimo bem que estou falando sério! - Ryan franziu a testa, não sabia se era ele finalmente entendendo que ela estava falando sério, por que estava engasgando de tanto rir ou pois a palavra muitíssimo tenha confundido aquela cabecinha machista dele.



Dead or alive RPG

Rosemarie Eastwood
But if you close your eyes Does it almost feel like You've been here before?
How am I gonna be an optimist about this?
Veni, vidi, vici
avatar
Rose Eastwood
Admin

Mensagens : 206
Data de inscrição : 15/01/2013
Idade : 21

Ver perfil do usuário http://wanted-dead-or-alive.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Antiga cachoeira.

Mensagem por Remus Archer em Qui Jul 11, 2013 3:01 pm

he's a devil
Ela estava realmente mandando Ryan beijá-la? Quão idiota aquela garota conseguia ser? Ele, a cada segundo que passava, só acarretava para sua raiva daquela garota aumentar mais e mais. Quem pensava que era? Ele já estava retribuindo o favor ao deixá-la viva. Quando escutou aquelas palavras saírem da boca dela, a vontade de rir foi maior que tudo. Conseguiu esquecer-se até de que a despeitada o chamara de covarde.

Levantou uma das sobrancelhas para a garota, cruzando os braços. Conseguia escutar o som de cascos, provavelmente era Fox, ou, melhor ainda, Devil. Sorriu, um sorriso de canto de boca. Ah, Ryan conseguia planejar ideias tão estranhas em tão pouco tempo... Ela continuava a encará-o, olhos verdes nos azuis do Archer. Talvez estivesse imaginando se Ryan faria o que ela ordenara. Sim, ordenara. A Eastwood era imbecil o suficiente para ordenar algo para um Archer. Parecia até que ela não o conhecia. Ele nunca fazia coisas que lhe eram ordenadas, ainda mais por um Eastwood fedorento.

Com o pensamento ele cuspiu no chão, fazendo questão de quase acertar a cara de Rose, aparentando ser o homem mais cruel da face da Terra. Não que ele já não fosse. Mas aquela loira aguada sempre parecia se esquecer quem Ryan Archer era.

- Você 'tá realmente me mandando te beijar, Barbie Caipira? Sério? - soltou uma risada gutural, ele não ia matá-la ali pelo favor que ela lhe fizera, mas tampouco ia beijá-la. Eastwoods tinham alguma doença. E Archers jamais deveriam se intoxicar nem com o contato naqueles metidos de cabelo cobre, com exceção das brigas, é claro. - Eu já 'tô te fazendo um favor te deixando viver.

Com essa sentença ele apenas virou-se de costas, sorrindo ao escutar o barulho dos cascos de Devil ali, mas onde estava Fox? Ele não podia deixar nenhum meio de locomoção que não os próprios pés para a Barbie seguí-lo e consequentemente fazer com que ele voltasse na sua promessa de não matá-la com uma bala bem no meio da testa.

O cavalo negro apareceu nem no meio dos dois e Ryan levantou uma sobrancelha quando ela fez menção de se aproximar, apontando uma arma bem no meio do rosto dela. - Eu não faria isso se fosse você. - Sorriu, com a melhor cara 'filha da puta' que ele tinha. Compreensão passou pela cara de Rosemarie. Ah, finalmente a burra entendera. - Nunca brinque com um Archer, Eastwood.

Sem esperar que ela começasse a reclamar, montou no cavalo, que não pareceu muito feliz com a carga. Xingou baixo, tomando as rédeas e dando um tchau superior para a garota, que ainda o olhava como se ele não estivesse fazendo isso. A pobrezinha devia pensar que ele estava brincando com a cara dela, que ele voltaria para salvá-la e levá-la de volta para a propriedade dos Eastwood. Oh, doce e ingênua Rose... Fazia realmente jus ao seu cabelo e genética.

Deixou-a sozinha no meio da cachoeira deserta, cavalgando o mais rápido possível, mesmo assim tentando encontrar o cavalo malhado. Não demorou muito para que o encontrasse. E o que viu levou lágrimas aos seus olhos e um grito de raiva à sua garganta. Grito esse que ele conteve, desmontando do precioso cavalo de Zach Eastwood e correndo até seu melhor parceiro. Ele não conseguia acreditar.

Fox agonizava enquanto Ryan percebia sua barriga completamente aberta, todas as entranhas do bicho expostas. Teve que virar a cabeça para poupar-se um pouco mais. As lágrimas caíram e ele relutou para enxugá-las, mordendo a própria boca a ponto de fazer com que começasse a sangrar para deter o grito de raiva. Fox era seu cavalo desde que ele aprendera a cavalgar. O único presente que seus pais se importaram em dar a ele. Seu melhor amigo. Seu único verdadeiro amigo. Ele não queria acreditar.

Tudo aquilo era culpa da Eastwood. Se não fosse por aquela vadia, Fox ainda estaria com ele!

Sangue subiu à sua cabeça, e ele se obrigou a dar o tiro de piedade no cavalo. Não queria que ele morresse, mas ele estava agonizando, estava sofrendo. E pelo menos àquilo Ryan havia se apegado. Não conseguia por nem mais um segundo ver a expressão de terror e de dor no animal. Decidiu que acabaria com aquela praga de Iverminiggers, ou não se chamava Ryan Archer. Vingaria seu cavalo.

Não saberia dizer por quanto tempo ficou ali, encarando Fox, chorando e enxugando as lágrimas, poderiam ter sido segundos ou horas. Ele perdeu a noção de tempo durante aquele momento. Porém, quando se reergueu, montou em Devil e cavalgou até as cercanias de Paradise Falls, desmontando dele em seguida e amarrando-o em um tronco qualquer, sacando sua arma e vendo se havia mais alguma bala dentro dela. Sorriu ao perceber que sim.

Imaginava o que Zach faria quando percebesse que seu querido cavalo estava morto, assim como o de Ryan. Tudo por culpa de sua adorada irmã, que não deveria ter cruzado com o Archer nem naquele dia, nem nunca. Aquilo causaria uma guerra. Ryan estava pronto para aquilo tudo. Na verdade, depois de perder uma das únicas coisas com as quais se importava, ele estava ansioso para que acontecesse.

Sorriu, apontando para Devil e descarregando uma bala nele, bem no meio da testa.

Lyrics: Vermillion - Slipknot
Post: 001
Clothes: Link
Notes:
thanks,
Baby Doll ♥



ENCERRADO

Dead or alive RPG

avatar
Remus Archer

Mensagens : 68
Data de inscrição : 20/01/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Antiga cachoeira.

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum